rvf, software e mitos

“Eat your own dog food” ou use TDD.

Posted on: 7 de novembro de 2009

como já diria Joel Spolsky… este blog já está fedendo a cupim (não, Joel não disse isso, na verdade do que se trata dele terminou nas reticências e tinha a ver com o titulo do post) mas tudo bem, esta é uma rapidinha que, se eu tivesse um numero consideravel de seguidores no twitter, seria um twitt… mas, como eu não gosto do twitter e nem quero que você me siga, vai pra cá mesmo.

Tudo que você faz, o faz como se você mesmo fosse usar? Pense nisso antes de construir a próxima linha de código lá no seu trabalho, esqueça seu chefe chato (não que o meu seja, caso o mesmo leia este post…) e codifique como se você mesmo fosse seu próprio usuário, como se você dependesse do seu próprio sistema para realizar seu trabalho.

Afinal de contas meu caro colega, os usuários gostariam tanto, mas tanto, que o que tu faz realmente funcionasse, que eles seriam capazes de te dar um beijo nas nadegas a cada dia de caixa fechado sem bug no sistema. E eu, sendo o cara que irá dar manutenção no seu código, adoraria tanto ver uma suite de testes unitários bem construidos quando o pegasse, que seria capaz de.. te pagar uma Polar bem gelada no boteco mais badalado da cidade baixa aqui de POA.

“Ah, mas eu já escrevo todo aquele código e testo tudo no main..  ainda tenho que escrever testes unitários pra ele?” Amigão, se tu quiser não precisa mais escrever este código todo.. escreva apenas os testes então. Ééé, isso mesmo. Esqueça aquela coisa toda logo de cara e vá direto aos seus @Test.. apenas coloque na cabeça: só entregue este código depois que os testes passarem! Se por acaso, tu ter que codificar um pouco para os testes passarem, beleza, tu faz classe a classe, mas espere, a classe não precisa existir para tu escreve-la pela primeira vez no seu teste… deixe o Eclipse chorar mesmo, só depois tu cria, ou melhor, rode a droga do teste sem a classe, para tu VER na tela que nada funciona sem a presença da maldita classe. É bem simples, não precisa ler um livro para começar.. são regrinhas básicas: da direita (seus testes) <simula erro> para a esquerda (implementação de uma pequena porção de código) <testa>.

“Mas quando eu sei que não preciso mais testar?” Quem disse que não precisa mais testar? Sempre que tu tocar aí tu vai testar, a unica diferença é que não precisará mais se preocupar com o que já está testado, pois se der algum tipo de erro, tu saberá exatamente onde consertar. Eu mesmo, sei quando não preciso mais testar quando o código que eu preciso para entregar a minha estória está pronto e é suficiente, pois de acordo com o TDD, se ele já está pronto, é porque existe um teste para ele!

Finalizando.. “eat your own dog food” .. estou ficando louco ou:

a propósito (falando em loucos), aproveitando a presença do Rod Johnson na TDC, nos diga Rod: o que faz a SpringSource, usar PHP no seu portal? http://www.springsource.com/index.php, Por quê não o nosso amigo SpringMVC?

E que calor infernal em Porto Alegre…

4 Respostas to "“Eat your own dog food” ou use TDD."

Excelente post! TDD é hoje uma prática fundamental, que está cada vez mais enraizada nos valores básicos de todo programador. Estamos vendo a mudança ocorrer, cada vez mais gente falado, cada vez mais gente fazendo.

E se não fizer o teste, vai realmente pagar o preço! Bem alto!

Massa.
Mas Polar… Faça-me o favor né…

@Andre Brito,

pelo visto tu não conhece a cerveja Polar né?! :-]

[…] das coisas que não domina ainda, se mantem sempre atualizado, who knows a bit about english, come a própria comida de cachorro e, claro, tem amor pelo que faz … venha trabalhar […]

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


  • Adolfo: Muito bom este post. Acho que tudo isso pode ser resumido em uma única palavra: humildade (isso não significa não defender seu ponto de vista).
  • Adolfo: Olá Robson, Alguns modelos até consegui identificar em alguns projetos que já trabalhei... Com algumas coisas eu concordo e outras não... Q
  • milah: Eu tenho um Amazon L71. Até 2 meses atrás não tive problemas com ele. Já troquei a placa de lan dele, por uma que capta melhor wi-fi. Só que ago
%d blogueiros gostam disto: